CONTROLE DE Pulgas

A pulga, essa criaturinha minúscula, pode pôr até 2.000 ovos em sua vida!! Esses ovos passam por uma série de transformações que chamamos de ciclo da pulga. É importante saber algumas coisas a respeito das fases da pulga para entender como ocorre a reinfestação.

 

Ovo
Apesar de serem depositados na pelagem do hospedeiro (um cachorro), os ovos não aderem nem à pele nem aos pêlos do cachorro. Como são escorregadios, eles caem logo no chão, ficando nas frestas do piso, cerdas dos tapetes e carpetes do ambiente. Portanto, podem ser encontrados em qualquer lugar por onde passe um cachorro infestado por pulgas. Os ovos da pulga adulta se transformam em larvas.

 

Larva
As larvas de pulgas evitam a luz, se movimentando para baixo. Portanto, ficam bem escondidas num nível mais profundo dos tapetes, frestas e camas dos cachorros, assim como os ovos. Ao eclodirem, elas passam por duas mudas (transformações) e depois se transformam em pupas. A larva madura transforma-se em pupa.

 

Pupa
Pouco falamos nesta forma, mas ela é muito importante! A pupa é uma forma dentro de um casulo capaz de sobreviver no ambiente por mais de 6 meses. Por ser viscoso, o casulo é rapidamente coberto com resíduos do ambiente que servem para camuflá-lo. A pupa também se esconde da luz, e na maioria das vezes, fica tão escondida que por mais que se limpe a casa é muito difícil acabar com ela.

 

Pulga Adulta
A pulga adulta é a que vemos geralmente no cachorro. Ela também pode estar na casinha, na cama ou na coberta do cachorro. A pulga põe ovos e se alimenta de sangue, sendo que sua preferência é pelo sangue dos cachorros que é mais quente que o do ser humano. Ao contrário das larvas, as pulgas recém-eclodidas se movem em direção à luz, ou seja, para a parte superior dos pêlos dos tapetes e da cama dos animais e ficam à espera de um hospedeiro, por exemplo, um cachorro. Também podem subir em capas de sofás, pernas de cadeiras, cortinas e outros móveis.
 

 
As pulgas, carrapatos, piolhos e percevejos de cama são artrópodes que se alimentam de sangue animal ou humano. Além de estarem envolvidos com a transmissão de zoonoses, podem ocasionar grande incômodo pelo prurido intenso localizado ou generalizado, provocado pela picada e também abalo psicológico, em função da possibilidade da presença ou retorno do parasito.